segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Sessão Pipoca Cultura pra todo canto... Nascidos em Bordéis dia 5 de setembro





Por: Joana Potira Heinen



Gopala, Gopala
Deva ki ananda na gopala


Com trilha sonora Bollywood e de Krisnha Das Nascidos em Bordéis é um convite à poesia em ação. Imagens em movimento, histórias de vida e fotografias capazes de falar são parte deste belo documentário de 2004, onde o que menos importa é que foi ganhador de Oscar!


No distrito da luz vermelha de Calcutá, um grupo de crianças filhas de prostitutas tem aulas de fotografia com a fotógrafa Zana Briski. O choque cultural, o estranhamento diante da diferença mostram o quanto nossas visões também são distorcidas por preconceitos, gerando situações extremamente delicadas e até posturas autoritárias.


Uma película sobre momentos e sobre visões, modos de enchergar o mundo circundante através de câmeras fotográficas ou olhares de crianças. A poesia das cores e da vida nas ruas desta grande cidade na Índia oriental, onde o cotidiano e as culturas destes grupos sociais contrastam com uma realidade brutal frente á nossa visão ocidental. Até que ponto pode-se intervir na vida de uma pessoa?


Afinal, o que é fotografar? A fotografia é uma forma de arte? O que um fotógrafo vê?


Sexta-feira, dia 5 de setembro de 2008, ás 18:45 horas na Casa de Cultura de Venâncio Aires (Museu).

Entrada franca. Entre em contato e inscreva-se.



Nascidos em Bordéis, um documentário que poderia se encaixar em categorias como fantástico, surpreendente, incrível, poético...

Fugindo dos clichês de triste história e dura realidade, que fazem parte de uma construção de estereótipos sobre as culturas da Índia...

Venha conheçer Suchitra, Manik, Gour, Avijit, Shanti Das, Puja Mukerjee, Kochi, Tapasi...


2 comentários:

Helena Jungblut disse...

Pô! que coisa linda ficou essa resenha! :D

tu realmente SENTIU o filme enquanto escrevia...

:****

Potira disse...

He he

Brigadúuu

Que bom que tu curtiu a resenha, saiba que eu me esforçei, afinal não queria fazer feio frente ao belo material que tu preparou anteriormente...

É, eu curti minha resenha, mas saiba que ela não é nada comparada com a grandiosidade do documentário...

É uma história que eu amo e odeio e odeio e amo cada vez que assisto...